14 de junho de 2015

Juros exorbitantes dos cartões de crédito e governo omisso ao roubo

Ter a dívida multiplicada por quatro em um ano. Essa é a realidade de quem entrou no crédito rotativo do cartão. Segundo levantamento divulgado dia 11.06.2015 pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, os juros do cartão de crédito passaram de 295,48% ao ano em abril para 304,03% em maio. A taxa está no maior nível deste março de 1999, quando havia atingido 354,63% ao ano. Assim, quem tem uma dívida de R$ 1 mil no cartão de crédito e não consegue quitar o débito encerra os 12 meses seguintes devendo R$ 4.040.30. Os juros do cheque especial subiram de 205,06% ao ano em abril para 210,44% ao ano em maio, atingindo o maior nível desde janeiro de 2003 (220,06% ao ano). Pela conta, quem entra no cheque especial devendo R$ 1 mil chega ao fim dos 12 meses seguintes com uma dívida de R$ 3.104,40. Na média, os juros do crédito para pessoas físicas encerraram maio em 6,87% ao mês (121,96% ao ano), no maior nível desde junho de 2010 (122,71% ao ano). Foto: Firmino Caetano Junior. Fonte: Agência Brasil