12 de junho de 2015

Politica, a arte da bajulação

Infeliz declaração do Sr. Michel Temer de que o Sr. Joaquim Levy “deve ser comparável à Cristo” pelo seu sofrimento na função que exerce no momento, independente da considerável remuneração e mordomias. Bajulação à parte, sofrimento em sua crucificação deveria ser o povo, principalmente os aposentados que, há vinte anos, são torturados pelo governo federal, por sentir em suas entranhas a dor dos cravos fincados por esses políticos sádicos e indiferentes.  O Sr. Temer desceu tanto com suas palavras que quase chegou ao nível do Sr. Paulo Maluf quando declarou, há mais de vinte anos (tenho a prova) de que ele seria “mais honesto que Cristo”. Diante de referência tão absurda, chegamos à conclusão de que nossos políticos se equiparam à figura mais santa e humilde, que nem as modestas peregrinas da bondade – Madre Teresa de Calcutá e Irmã Dulce – ousariam chegar a tanto. Foto: Ueslei Marcelino. João Roberto Gullino. Petrópolis/RJ