7 de setembro de 2015

Hospitais públicos do estado em crise

De repente, as UTIS de cinco hospitais pernambucanos foram parar na UTI por causa da crise orçamentária. Repasse de verbas. O Hospital Miguel Arraes, em Paulista, o Getúlio Vargas, no Cordeiro, o Hospital Barão de Lucena, na Iputinga, o Agamenon Magalhães, em Casa Amarela, e o Pelópidas Silveira, no Curado, reduziram a quantidade de leitos nas unidades de terapia intensiva por falta de condições de funcionamento. A desumana decisão impediu que 121 pessoas ficassem na fila por vagas na UTI. O que contribui para aumentar a quantidade de pacientes nas emergências hospitalares. Alongando a lista de óbitos no Estado. O que adianta o pernambucano dispor de muitos hospitais se a maioria funciona na base da improvisação. Em virtude de descaso, omissão pública. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos  Ivan. Olinda/PE