19 de outubro de 2015

Atribulada eleição no Recife

Triste e vergonhosa foi a eleição para o Conselho Tutelar do Recife, realizada recentemente. A disputa pelos candidatos ao cargo teve de tudo, menos idoneidade, o devido respeito, a atenção e a consideração  à criança e ao adolescente. No desfecho da eleição, rolada na Câmara de Vereadores da capital pernambucana, houve fraudes, compra de votos, aparelhamento político, bate-boca, denúncias de irregularidades, doações de brindes, violação de urnas, falhas eleitorais, transporte ilegal de eleitores, severas críticas ao sistema e muitos interesses políticos. Depois que os vereadores descobriram que o Conselheiro Tutelar é uma perfeita moeda de troca, dar assistência à criança visando assegurar votos na familia para o vereador padrinho, a bagunça no pleito virou tremendo escândalo. Caso de polícia. Alguns candidatos ao cargo, inclusive, tomaram medidas judiciais visando a anulação do desqualificado pleito. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan.
ESCLARECIMENTO DA PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE: O Conselho Municipal de Defesa e Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente do Recife, esclarece que  todo o processo de escolha para os membros dos conselhos tutelares do Recife transcorreu com total lisura e não apresentou fraudes. Algumas falhas são naturais já que o processo foi todo manual. A eleição foi fiscalizada pelas representantes do Ministério Público, Rosa Maria Salvi da Carvalheira e Jecqueline Guillherme Aymar Elihimas, no dia da votação e durante toda a apuração. Assessoria de Imprensa da PCR