11 de outubro de 2015

Indústria Automotiva

O ano em curso prega tremendos sustos na indústria automotiva. A repetição dos maus momentos verificados em 2005, quando caíram as vendas e a produção. Mesmo acreditando na reviravolta da crise, dentro em breve, as montadoras, para aliviar a pressão da desaceleração de mercado, tomaram antipáticas mais necessárias decisões. Para não deixar muitos funcionários ociosos com a paralisação da produção por curtos períodos, resolveram afastar de suas funções mais de 35 mil trabalhadores, suspendendo contratos ou dando coletivas. Não causa surpresa a saudade que as fabricantes de veículos sentem dos bons tempos quando contabilizavam recordes de lucros e de repetidas taxas de crescimento. Preparada para produzir 5 milhões de veículos anuais, as fábricas realizam ajustes internos visando absorver o impacto das frias vendas. De modo a suportar esta cansativa etapa de estagnação que balança inclusive a lucratividade das empresas. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE