27 de outubro de 2015

Saúde Pública no Brasil já é um caso de polícia

Graças à omissão de gestores e a falta de políticas públicas a saúde na rede pública permanece deprimente no país. Altamente ineficiente. A violência, o atendimento ao idoso e à gestante continua crítico. Enquanto a mortalidade por arma de fogo e os óbitos resultantes de acidentes de trânsito ceifam vidas, precocemente, geralmente de jovens, os registros de neoplasia têm atormentado os velhinhos. Sinal de que idosos não recebem a merecida atenção do poder público. Por outro lado, a eclampsia, as hemorragias e os abortos aparecem como as principais causas de mortes nos partos hospitalares. Desafios que o Brasil enfrenta diuturnamente, sem solução. As cenas de dor, desespero e mortes, na maioria das vezes, são derivadas do corte de verbas e do sucateamento da saúde pública executados pela insensível e desnorteada política. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE