27 de outubro de 2015

Velhas manias e uma delas é deixar lixo nas calçadas

Foi a facilidade do jeitinho, abrindo a porta dos benefícios, que deixou o brasileiro mal acostumado, enraizando a vontade de driblar normas. A mania de levar vantagem aflorou o egoísmo, detonou o individualismo, rotulou o cidadão que só pensa em si de infrator e corruptor. Faz parte da cultura do povo, desde o berço, agir com a maior naturalidade em furar fila, jogar lixo na rua, cortar o veículo da frente pela direita, entrar à esquerda nos sinais de trânsito, ultrapassar em faixas contínuas, estacionar em locais proibidos, fantasiar carros velhos para ganhar mais na revenda, desrespeitar o próximo, passando o sujeito pra trás, sonegar impostos, achar que é o tal. Esse tipo de postura é sinal de desigualdade social e de diferença de poder num país que deixa a corrupção e o apadrinhamento correr frouxo por falta de estrutura. Criando uma situação altamente prejudicial à sociedade, ao indivíduo e ao próprio país pela impunidade. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE