16 de novembro de 2015

Estação rodoviária tomada pelo mato e outras mazelas

A parte externa do Terminal Rodoviário da cidade de Gravatá, em Pernambuco, tem tanto mato acumulado que mais para parece a floresta amazônica. Enquanto o responsável por este terminal que é o Departamento de Estrada de Rodagens (DER), não toma as medidas cabíveis para o descaso, o mato cresce assustadoramente. O matagal sem servindo de pastagem para animais de grande porte, que circulam pelo local e comem tudo que encontram pela frente (com fome) e os donos não são punidos. Um péssimo cartão postal para as pessoas que visitam este município do agreste pernambucano. Pergunto: O que poderá ser feito de imediato para pelo menos se limpar o mato, pois além deste descaso o prédio deste terminal está precisando de uma pintura e os sanitários de um bom trato, pois só vivem sujos pela falta de uma limpeza constante por parte uma firma que atua no local, como também por pessoas mau educadas que ao entrarem nos banheiros para fazerem suas necessidades fisiológicas, não dão descargar e deixam papel higiênico espalhado pelo chão, como também fezes e urina causando um mau cheiro horrível. Uma verdadeira esculhambação. Foto: Firmino Caetano Junior. Recife/PE