23 de dezembro de 2015

Como evitar golpes nos caixas eletrônicos dos bancos

Os estelionatários geralmente usam as chamadas “frentes falsas” “máscaras”, onde toda a parte frontal do terminal eletrônico é sobreposto ao original para simular a frente de um caixa verdadeiro. Um notebook é instalado por trás do equipamento com um mecanismo interligado tanto no local de introdução do cartão magnético quanto no dispositivo do teclado aliado a um programa que simula todas as principais operações bancárias, porém nunca consegue finalizar a transação, aparecendo sempre uma mensagem de erro. A intenção dos bandidos é copiar e enviar via internet (este dispositivo possui um chip com modem que envia através da web todas as informações para o bandido) a trilha do cartão como também a digitação da senha nas teclas alfa numérica.  Após algum tempo os criminosos voltam ao banco retiram a parte da frente que foi colocado previamente e depois confeccionam vários cartões com as trilhas capturadas ou numa forma mais evoluída recebe todas as informações pela internet em virtude de haver um modem acoplado ao equipamento e de posse das senhas realizam saques em dinheiro causando grandes prejuízos para correntistas e instituições bancárias. Foto: Divulgação