6 de dezembro de 2015

Pipeiros são presos furtando água (uma vergonha)

Sete pessoas foram presas, nas últimas 24 horas, durante uma ação de fiscalização promovida pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e pela Polícia Militar e Pernambuco no município de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste do estado. Elas estavam furtando água da Adutora de Tabocas, que leva água da barragem de Jucazinho, via reservatório de Tabocas, para Santa Cruz do Capibaribe. Dos presos, quatro estavam utilizando a água para encher caminhões pipa e vendê-la à população do município. A Compesa e a Polícia Militar conseguiram chegar aos suspeitos graças a denúncias feitas pela população. Nesta quinta-feira (3), quando recomeçou o ciclo de abastecimento no município, que é de apenas dois dias de água por localidade para 28 sem água, técnicos da companhia e policiais percorreram os 15km de adutora e encontraram água sendo furtada dentro da propriedade Sítio Tabocas, em Brejo da Madre de Deus. Lá, eles localizaram um açude clandestino, enchido com água furtada da adutora, onde dois pipeiros estavam abastecendo seus caminhões para comercializar a água na cidade. Os dois pipeiros e dois proprietários do sítio foram presos e levados para a delegacia de Brejo para abertura de inquérito policial. Como a água já está escassa na região, uma vez que Jucazinho está reservando apenas 2% de sua capacidade, o furto vinha prejudicando ainda mais os moradores, já que a água perdia pressão por conta do desvio. Além das duas ligações presentes no sítio, que alimentavam o açude, os agentes encontraram outras três nesta sexta-feira (4). Dessa vez, a água desviada da adutora estava sendo usada para fins residenciais. A vazão na adutora de Tabocas é de 100 litros de água por segundo e havia caído por conta dos furtos. Foto: divulgação