3 de abril de 2014

Assassinado em avenida super movimentada

A morte de um empresário no Recife, em saidinha de banco, revela algumas deficiências vividas pela população da capital de Pernambuco. O precário policiamento preventivo e a injustificável falta de investimentos para reestruturar um setor que é fundamental importância para a tranquilidade das famílias recifenses. O descaso do poder público prejudica o direito do cidadão em gozar do privilégio de sair e retornar para casa com vida. Para cumprir obrigações trabalhistas, pagar a folha dos funcionários etc, o empresário foi fuzilado em plena luz do dia com três tiros, ao voltar para o carro estacionado nas proximidades do banco onde sacou determinada importância em dinheiro, pois jamais esperava não contar com a ausência policial, justamente numa área super movimentada que é a Avenida Agamenon Magalhães (FOTO), neste trecho no bairro do Derby, lotada de gente, guardas municipais e veículos circulando em todos os sentidos. Enquanto isso, o recifense é candidato a ser mais um número nas ocorrências de ações criminosas, derivadas de transações bancárias, cujas estatísticas apontam este caso como o 13º registrado em 2014, contra 36 acontecimentos ocorridos no ano passado, onde a insegurança rola de cabo a rabo a qualquer hora do dia. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE