5 de maio de 2014

Fernando Collor de Melo

Quando vejo aquele olhar desvairado do Collor, tentando mostrar que foi injustiçado com o impechment fico pensando que só um louco pensaria assim. Nós, brasileiros, poderiamos  avivar a memoria do ex-presidente do Brasil. Durante seu meteórico governo, quantas empresas quebraram? Quantos empregos foram perdidos? Quantos brasileiros ficaram sem suas poupanças? Quantos se desesperaram e morreram, alguns cometendo até suicídio, levados pelo desespero? Nada disso será apagado da consciência nacional. Ele pode fazer todo tipo de magia negra nos jardins da "Casa da Dinda" que não irá conseguir. Por outro lado, assim como no caso do Celso Daniel, não ficou uma testemunha estranhamente viva para contar história no processo que julgaria o ex-presidente Collor. A nós, brasileiros, resta agora abrir os bolsos e pagar aposentadoria de presidente retroativa aos anos 1990! Collor foi salvo pela política protecionista aos avanços tecnológicos do governo Sarney que, por precariedade à época, impediram avanços nas investigações que o colocaria no Centro da roubalheira. Ele deveria beijar o chão onde Sarney passa! Pobre povo brasileiro. Quando não é roubado descaradamente pelos políticos, o é quando não são pegos. Foto: Reprodução de tv. Beatriz Campos. São Paulo/SP