18 de outubro de 2014

Os riscos da fábrica Fiat ficar em segundo plano

É inquestionável  o peso da Fiat para tirar do papel as promessas de desenvolvimento para as cidades da Mata Norte e para alavancar a economia do Estado de Pernambuco. A montadora, que iniciará as operações até início de 2015, contou com investimento de R$ 7 bilhões e prevê gerar 12 mil empregos. E ao contrário do que se comenta, quem de fato articulou a vinda da italiana para o Estado foi o então presidente Luis Inácio Lula da Silva. Na época , o acordo era de que a montadora expandiria seus negócios na cidade de Betim, Estado de Minas Gerais. Terra do candidato à presidente Aécio Neves, que recentemente demonstrou estar magoado com a quebra de acordo que levou o seu estado a perder os investimentos para Pernambuco. Prova de que o pensamento  do tucano é fortalecer a indústria do Sul e do Sudeste do país e não o desenvolvimento regional, principal bandeira do segundo governo de Lula. Resultado disso foi o crescimento econômico do Nordeste nos últimos anos. Infelizmente, para cá, os planos do candidato não são nada entusiasmantes. Foto: Firmino Caetano Junior. Jamille Coelho. Editora de Economia do Jornal Folha de Pernambuco