25 de fevereiro de 2015

Água não, conta sim

Moradores da rua Antonieta Guimarães de Andrade, localizada na Jardim Atlântico, na cidade de Olinda, continuam sofrendo com o flagelo da falta d'água nas torneiras, tormento que já se estende por dois longos e secos meses. Para sobreviver com a dignidade cidadã da presença indispensável do líquido em casa, eles têm como única a cara opção comprar água dos caminhões pipas ao preço de R$ 170. Mas, o mais absolutamente incrível e abusivo, desrespeito e imoral é que a conta chega pontualmente, todo mês! Gente, como é que pode? Foto: Firmino Caetano Junior. Nilson Cleme. Olinda/PE