18 de maio de 2015

Cadê o troco?

As máquinas de auto atendimento instaladas nas estações dos ônibus da BRT, não tem troco para dá aos usuários quando do carregamento do cartão VEM, que dá acesso aos veículos. Como a passagem custa R$ 2.45 termina saindo por R$ 2.50, caso seja efetuado um carregamento de R$ 5.00 reais que é o valor mínimo. Neste caso a empresa fica com R$ 0,10 centavos de cada passageiros. Se carregar R$ 20.00 por exemplo, que equivale à 8 passagem, fica no caixa da empresa R$ 0,40 centavos. Como os ônibus só vive lotado e a quantidade de passageiros por dia é muito grande (são milhares), fico a pensar: quanto não será o lucro extra por dia? Com certeza um grande volume em espécie que pode até pagar os salários dos motoristas todos os meses e sobrar dinheiro para o dono da empresa colocar na poupança. Um outro assunto e de grande importância é que mesmo a pessoa com dinheiro vivo querendo pagar a passagem, não pode utilizar o transporte, pois não existe guichê para trocar o dinheiro por vales de papel como existe no Metrô do Recife. Foto: Firmino Caetano Junior. Recife/PE