18 de dezembro de 2015

Culto para um Deus surdo

Na Rua Luiz Câmara, bairro do Jordão, Recife, o dono de um supermercado usa a garagem do estabelecimento como igreja. O problema é que os cultos são realizados quase todos os dias, depois das 19h. O espaço é aberto, sem proteção acústica e, como Deus deles parece ter algum problema de audição, a gritaria é enorme e o som é posto nas alturas. Os frequentadores ainda usam instrumentos musicais e, dessa forma, conseguem transformar a vida dos vizinhos em um inferno. Sem opção, ficamos orando baixinho e pedindo a Deus que termine logo o barulho contínuo e ensurdecedor. Foto: Firmino Caetano Junior. Alf Cunha. Recife/PE