10 de outubro de 2013

Botaram o dedo na ferida

Mesmo não sendo eleitor de Eduardo Campos, até porque não acreditava nessa tal candidatura presidencial, achando que tudo isso era apenas parte de um plano de ocupar espaços na mídia, devo admitir que a inesperada parceria entre Eduardo e Marina Silva foi um “golpe de mestre”. Outra coisa que tem me impressionando é a virulência com esse acordo tem sido tratado pelos que se sentem ameaçados pela parceria, notadamente os petralhas que, entre outras coisas, acusam Eduardo e Marina de oportunismo político, esquecendo-se, com o cinismo que lhes é peculiar, de que ficaram de ”bico fechado” quando Lulla, o “poderoso chefão” do PT, impôs ditatorialmente uma composição com Paulo Maluf, para garantir a eleição de Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. Isso sem falar em outras tantas alianças absolutamente cretinas, a exemplos das que foram firmadas por Lulla e Dilma com Zé Sarney, Fernando Collor, Renan Calheiros, Severino Cavalcanti, Sérgio Cabral e outras tantas “figurinhas carimbadas” do que de pior existe na política brasileira, com o único propósito de garantir a manutenção do poder. Pelas histéricas reações que tenho visto, começo a achar que Eduardo e Marina conseguiram “colocar o dedo na ferida”... Foto: Firmino Caetano Junior (arquivo). Júlio Ferreira. Recife/PE