30 de outubro de 2013

Os eternos segregadores

Contribuí para o INSS por quase 50 anos apesar de ter-me aposentado na devida época e, as contribuições posteriores não requeri a devolução por problemas outros mas que não reivindico, mas reivindico sim, o que, há vinte anos, me é sonegado pelo governo. Mas ao longo desse período e agora, com mais ênfase, os proventos que deveriam ser a nós destinados, são desviados para benesses outras, praticando cortesia com "nosso" chapéu. Distribui-se aposentadoria à vontade para quem nunca contribuiu, assim  foi feito com pequenos agricultores, índios, integrantes do MST, hansenianos, paraplégicos e outros mais e até, para ex-jogadores de futebol, como foi o caso do ex-jogador Caju que era beneficiado com uma bolsa-esporte de 4.000 reais, enquanto eu, aposentado com 8 recebo hoje menos de 3 s/m, provento muito inferior a tal benefício gracioso. Esta é a justiça social do governo dito "socialista" e dos políticos da Câmara que se dizem "representantes do povo" mas que engavetam, há cerca de 5 anos, um projeto aprovado por unanimidade no Senado, para regularização de tais benefícios defasados. Foto: Firmino Caetano Junior. João Roberto Gullino. Petrópolis/RJ