19 de novembro de 2013

Burocracia ao extremo para conseguir um remédio

Estive recentemente na Farmácia de Pernambuco, que fica no bairro da Boa Vista, no Recife, para se informar como poderia conseguir de graça do governo estadual o medicamento Sulfassalazina de 500 mg. Não acreditei na quantidade de documentos exigidos para conseguir o tal remédio. Carteira de identidade, CPF, Comprovante de residência, Laudo para solicitação e um outro Laudo descrevendo histórico clínico do paciente, por parte de um médico do SUS, já que profissionais do próprio estado não aceitam (incrível). vários outros documentos para ser preenchidos constando o carimbo do médico e rezar para que ele não preencha errado, pois só uma via é fornecida, assinar uma guia de termo de esclarecimento e responsabilidade e por ai vai. Com tantos documentos exigidos, só posso pensar que é para as pessoas desistirem e ter que compra o medicamento. Um outro detalhe para essa desistência é ter que marcar uma consulta para um médico do SUS (leia-se Postos de Saúde ou Hospital Público), pois tem que chegar cedo, enfrentar filas enormes e quando consegue marcar a consulta, não é com menos de 60 dias, isso quando o médico comparece ao trabalho. Foto: Firmino Caetano Junior. Recife/PE