17 de novembro de 2013

Liberação da maconha: Será que estamos prontos?

Há uma onda crescente no mundo defendendo a liberação da maconha para o chamado "uso recreativo", ou seja, permitir que as pessoas possam se chapar à vontade, dentro da lei. A questão é controvertida. Sabidamente, a maconha age no sistema nervoso central gerando inúmeras sensações e reações imediatas como: euforia, sonolência, sentimento de felicidade, risos espontâneos sem motivo, perda de noção do tempo e espaço, perda de coordenação motora, equilíbrio e fala coração acelerado, perda temporária de inteligência, fome, olhos vermelhos. No longo prazo, dizem os especialistas contrários, os efeitos podem ser mais graves: alucinações, ansiedade, angústia, pânico, impotência sexual, maior chance de desenvolver câncer de pulmão, bronquites, sistema imunológico fragilizado, tosse crônica, arritmia cardíaca. A questão é: será que estamos prontos? Não seria uma porta aberta para o consumo de outros tipos de drogas? Foto: Polícia Federal. Diego Casa Grande. São Paulo/SP