5 de novembro de 2013

Será que crianças pobres terão de ser consideradas animais, para que despertem solidariedade?

Uma das manchetes de capa da edição do último dia 03 do Jornal do Commercio do Recife, deveria ser capaz de causar indignação até mesmo no mais irresponsável dos cidadãos. Infelizmente, como estamos em um país em que a degradação humana tem sido cada vez mais aceita pela sociedade, seguramente uma minoria de pernambucanos sequer prestarão a atenção no tema tratado pela matéria. O pior é que alguns mais cínicos até mesmo serão capazes de achar que a criança flagrada enquanto mergulhava entre o lixo do Canal do Arruda, no bairro do Arruda, estava ali por pura e simples diversão, tal e qual os filhos dos mais abastados usufruem das translúcidas piscinas de clubes, condomínios e residências. Será que alguns daqueles “idiotas úteis” que estão empenhados em salvar os Beagles do Instituto Royal, poderiam dar uma folga na sua cruzada de proteção aos cachorros, para dedicar um pouco da sua atenção ao que esse “país sem vergonha” está fazendo com suas crianças? Foto: Reprodução do Jornal do Commercio. Júlio Ferreira. Recife/PE