16 de março de 2014

Televisão Pernambuco responde ao blog Mazelas do Recife

Após anos de sucateamento e descompromisso para com a TVPE, a sociedade civil e o governo estadual promoveram a criação da EPC, Empresa Pernambuco de Comunicação que tem o objetivo de reconstruir a emissora com o conceito e os princípios de televisão pública. Desde janeiro estamos iniciando, na prática, a nova fase. O Conselho de Administração, composto por seis membros do governo, seis membros eleitos pela sociedade civil e movimentos sociais e um representante da AMUPE, acompanham o processo de transformação da TV no plano editorial, técnico e administrativo. Hoje temos em mãos dois planos: um para 2014, referente à operação da montagem estrutural da Empresa e, outro, referente à sua atualização tecnológica (digitalização) para acontecer de forma escalonada de 2016 a 2018. O primeiro plano (2014) aguarda um incremento orçamentário para, inclusive, recuperar a estrutura física como, no caso mencionado por você no seu blog As Mazelas do Recife, a fachada da Unidade Recife. O Plano de Digitalização prevê a modernização das duas geradoras (Unidade Caruaru e Unidade Fernando de Noronha) e mais 30 retransmissoras no Estado. Esse projeto iniciou a sua prospecção de recursos, que somam 20 milhões de reais, para equipar a TVPE com as condições exigidas pela eletrônica moderna tanto na captação como na edição, exibição e transmissão, dentro dos prazos legais. Guido Bianchi. Presidente da Empresa Pernambucana de Comunicação