28 de junho de 2014

O preço que se paga para torcer durante Copa do Mundo no Recife

Os turistas que dedicaram seus preciosos dias para visitar as cidade-sedes da Copa do Mundo no Brasil devem ficar atentos aos preços abusivos que estão sendo cobrados pelos produtos e serviços. O que é de praxe em todos os mundiais, independentemente dos países escolhidos. Haja vista que os setores de comércio e serviços depositam na Copa uma excelente oportunidade de faturar o que, geralmente, levam meses para lucrar quando não acontecem os jogos. O Recife, por incrível que pareça, é um das cidades onde os preços são menores em relação às outras, mesmo considerando que, por aqui, taxistas extorquem turistas cobrando UR$ 100 dólares por uma corrida do bairro de Boa Viagem para cidade de Olinda- e alguns estabelecimentos também não ficam para trás, chegando a cobrar R$ 300 por 12 caipirinhas e algumas cadeiras na praia de Boa Viagem. Segundo levantamento do G1, em São Lourença da Mata, a 800 metros da Arena Pernambuco, o custo com estacionamento subiu 400%. No País, os gastos dos torcedores no entorno dos estádios sobem em média 500%. Foto: Firmino Caetano Junior. Jamille Coelho. Editora  de Economia do Jornal Folha de Pernambuco