30 de junho de 2014

Pobre cidade sofredora

Recife, a cidade que a gente ama, é desprezada pela gestão pública. É desprotegida pelo poder público que não livra o município das mazelas que tanto lhe afligem. Não evita o acúmulo de transtornos que apavoram a população nos dias de chuvas intensas. Quando chove forte na cidade, os motoristas sofrem o diabo no trânsito. São famílias desesperadas com os deslizamentos de terra, são ribeirinhos xingando os gestores pelo transbordamento de canais sujos, são pessoas obrigadas a andar pelas ruas alagadas com água até o joelho para não chegar atrasado ao trabalho. A cidade pena, diante da dificuldade de deslocamentos. São ruas alagadas no bairro de Caxangá, na Avenida Agamenon Magalhães, em Peixinhos, em Campo Grande, Boa Viagem, Apipucos, Rosarinho, Santo Amaro e Boa Vista. Quem mora nos arredores de Vasco da Gama, Dois Unidos, Linha do Tiro, Jordão, Ibura, Várzea e Capina do Barreto sofreu com os 89 deslizamentos que perturbaram o sossego de muita gente com o transbordamento de canais e até do Rio Beberibe. Até quando? Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE