1 de julho de 2014

Saidinha de banco, povo roubado, a quem apelar?

Tornou-se corriqueira a notícia das saidinhas de banco, quando o inculto cliente saca vultosas somas em espécie sendo abordado por assaltantes assim que deixa a agencia bancária. A insegurança é geral e irrestrita, entretanto a atividade bancária e financeira quebra seus próprios recordes de lucratividade e diminuição de despesas repassando as atividades ao cliente, através da internet ou dos caixas eletrônicos, portanto deveria oferecer um melhor aparato de segurança. Ressalto que em todas as agência que já estive, o segurança está após a porta giratória e não há nenhum controle sobre as pessoas que ficam na área dos caixas eletrônicos, certamente facilitando a permanência de pessoas mal intencionadas que podem estar observando possíveis vítimas ou instalando equipamentos para captura de senhas e dados. Cabe aos bancos planejarem uma melhor segurança no entorno e dentro de suas agências em prol de seus clientes, fazendo jus aos lucros gigantescos que os clientes os proporcionam. Foto: Firmino Caetano Junior. Daniel Marques, Virginópolis/MG