17 de agosto de 2014

A falta de Eduardo Campos ao processo eleitoral

Com o falecimento de Eduardo Campos, o processo eleitoral do PSB passa a enfrentar sérios problemas. A própria candidatura de Marina corre sérios riscos, uma vez que ela não é confiável para a cúpula do PSB. Sem a presença de Eduardo, que era o "avalista" da presença de Marina na chapa socialista, tudo pode acontecer. Articulações serão feitas para equacionar o problema, mas sem dúvida ninguém é capaz de prever como esse "imbróglio" vai terminar. Seria desejável que a efetivação de Marina como cabeça de chapa fosse automática, mas quem tem um mínimo de discernimento político sabe que, nesse caso específico, com tantos interesses em jogo, "o buraco é mais embaixo". Resta esperar que o bom senso prevaleça, ganhando espaço sobre as "futricas eleitoreiras" e o "oportunismo barato" de alguns socialistas que, diante da ausência de Eduardo, aproveitem para "colocar as unhas de fora". Foto: Compesa. Júlio Ferreira. Recife/PE