29 de agosto de 2014

Cadê as manifestações, contra aumento de energia?

No ano passado, uma multidão ganhou as ruas em protesto contra o aumento de R$ 0,10 nos preços das passagens. De lá para cá, são incontáveis as altas em cima de tudo o que é pago pela população, enquanto os empresários recebem uma infinidade de benefícios fiscais. Afinal de contas, o povo serve para pagar impostos e ser fiador para arcar com os custos dos fracassados planos do Governo. É isso que está acontecendo com o setor elétrico. Até agora, estamos devendo quase R$ 18 bilhões, que estão sendo emprestados às distribuidoras para comprar energia no mercado à vista. Não fosse tão inconsequente, o Governo  tinha desistido da estúpida MP 579, que impediu a renovação dos contratos com empresas como Cemig, Copel e Cesp. Agora, as empresas da Eletrobras-obrigadas a participar do jogo- não dão conta do fornecimento de energia e as distribuidoras passaram a comprar o produto no mercado à vista. À população cabe reservar parte do seu orçamento para custear a má fé e irresponsabilidade governamental. E ninguém se manifesta? Foto: Firmino Caetano Junior. Jamille Coelho. Editora de Economia do Jornal Folha de Pernambuco