26 de outubro de 2014

O Arco Metropolitano e os buracos na BR-101

A Fiat aprontou concluiu a planta da fábrica para a produção do Jeep, modelo Renegade, o primeiro carro a ser montado pela montadora pernambucana, no município de Goiana, na Zona da Mata Norte, a partir do próximo ano. A nova unidade industrial custou à Fiat o montante de R$ 4 bilhões. As empresas sistemistas, as chamadas fornecedoras de peças investirão outros R$ 3 bilhões. O montante mostra que o Estado recebeu bons investimentos. No entanto, os governos, estadual e federal, falharam, não cumpriram o que prometeram. O projeto para a construção do Arco Metropolitano encalhou. Os 77 quilômetros da rodovia que ligaria Goiana ao Complexo Industrial Portuário de Suape, para despacho dos 250 mil veículos a serem produzidos no Estado, anualmente, por conta da burocracia, está com três anos de atraso. Desde 2008, discute-se a construção do Arco Metropolitano, visando desafogar os engarrafamentos da BR-101, depois que a Fiat entrar em operação, deixando em jogo o futuro automotivo de Pernambuco. Foto: Fernando Melo. Carlos Ivan. Olinda/PE