16 de outubro de 2014

Professores não querem presentes e sim salários decentes

Não brigamos pela bonificação, compreendemos que ela é apenas um engodo a mais que vem no sentido de negar a valorização dos professores. Nossa luta vai no sentido de exigir que a valorização profissional se dê a partir de melhores condições de trabalho e salarial. O Estado de Pernambuco não paga o piso, pois de acordo com a LEI 11.738 não pode-se incorporar ao mesmo as gratificações e, em 2010 quando Paulo Câmara era Secretário de Administração e Danilo Cabral, da Educação junto ao ex-governador (falecido) Eduardo Campos contribuíram para achatar o salário dos docentes. Destruíram o PCC dos professores e contrariando a Lei, anexaram a gratificação do Magistério (pó de giz) para compor o valor do Piso.  Discordamos da meritocracia, até porque é extremamente desonesto exigir que o professor dê seu suor e sangue em escolas caóticas, com bibliotecas e laboratórios ( de ciências e de informática) funcionando precariamente ou sem funcionar, com falta de professores, com quadras esportivas que não atendem às necessidades de alunos e professores, onde  muitas escolas apresentam problemas em sua estrutura física. Isso sem falarmos no número excessivo de alunos em sala e na constante violência a que estão submetidos professores e demais funcionários das escolas públicas da rede estadual. Foto: Albênia Silva. Camaragibe/PE