18 de novembro de 2014

Ausência dos parlamentares na Alepe

O político transformou o mandato parlamentar em carreira profissional. Tem o poder nas mãos, concedidos pelo voto, apenas para tirar proveito e engradecer o patrimônio pessoal. Com essa mentalidade, o país vive sob a regência dos conchavos, conluios e de interesses particulares, frutificados através de escândalos nos bastidores, desvios de verbas, manipulação de licitações irregulares. Petrobrás e a Refinaria Abreu e Lima são os mais recentes exemplos. Está completando um mês do primeiro turno, porém o tempo ainda não passou para os deputados estaduais. As 229 ausências anotadas na Assembleia Legislativa de Pernambuco, motivadas por faltas, missões autorizadas ou por licenças culturais provam o desinteresse coletivo. Para fugir do desconto no salário, o deputado sempre arranja um jeitinho para justificar a ausência. Não importa se a fuga da obrigação parlamentar esvazie o plenário da Casa Joaquim Nabuco, prejudique o ritmo lento e improdutivo da Casa ou sirva de pretexto para desarrumar as coisas legislativas. Culpa do eleitor que não mentaliza de que toda mudança é necessária, sempre. É com a renovação de mandatos, principalmente dos mais antigos que se revigora a democracia brasileira. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE