21 de novembro de 2014

Avenida requer mudanças o mais breve possível

O espaço de dois quilômetros de extensão da Avenida Conde da Boa Vista foi invadido pelo comércio. Virou reduto de bancos, de escolas e faculdades, bares e restaurantes. Mas, como é visitada diariamente por 400 mil pessoas e 10 mil veículos, requer mudanças, exige intervenções urbanísticas para se adequar ao desenvolvimento da cidade. Os ônibus convencionais vão ser substituídos pelo Sistema de Transporte Rápido por Ônibus. Segundo o projeto de reurbanização, depois de readequada, a Avenida Conde da Boa Vista deve recuperar o antigo glamour. Perde o título de corredor viário, foge da invasão de ambulantes, despede-se da desorganização de espaços para retomar o antigo posto de fundamental do Centro. Todavia, os esgotos a céu aberto irritam o pedestre. O mau cheiro dos bolsões de esgoto causa mal estar aos moradores e comerciantes. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE