8 de dezembro de 2014

Ministério Público pede interdição parcial de presídio

A sociedade pernambucana,  soube que o Ministério Público de Pernambuco pede a interdição parcial do Complexo Prisional do Curado, em virtude das precárias condições estruturais para abrigar presos. Após receber denúncias de irregularidades, o órgão inspecionou o local, concluindo que o antigo presídio Anibal Bruno recebe superlotação de presos, presta péssima assistência à saúde, não oferece as devidas condições de vigilância aos agentes de segurança penitenciária, assim como não evita o crescente número de crimes praticados pelos presos dentro dos limites dos três presídios do Complexo. Contando com um contingente de 30 mil detentos para somente 10.500 vagas disponíveis, o Estado é julgado incapaz para deter pessoas apenas do cumprimento da lei. Sem oferecer condições humanas e dignas aos aprisionados. Afinal, encarceramento é bem diferente de política de segurança. Foto: Portal IG. Carlos Ivan. Olinda/PE