25 de janeiro de 2015

Reajuste fiscal rejeitado pela Indústria e Comércio

Os empresários do comércio e da indústria formaram um vigoroso bloco de opiniões contrárias à aprovação deste ajuste  fiscal do Governo Federal, que vai produzir efeito paralisante na economia. Perturbando ainda mais a competitividade em prática no país, elevando o patamar dos atuais impostos que já chega a 36% do PIB. Os empresários desejam juros menores, mais recursos e melhores condições de pagamento para uma indústria carente de estímulos. Esperava-se que o governo Implantasse uma perfeita coordenação entre as desequilibradas políticas fiscal (receitas e despesas), monetária (juros) e cambial (comércio exterior), e nada foi feito neste sentido. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE