17 de abril de 2015

Inicio de governo bastante tumultuada

Desde que sentou na cadeira de governador no dia primeiro de janeiro deste ano, Paulo Câmara ainda não teve sossego e provavelmente não terá mais. Enfrentou logo nos primeiros dias de governo uma gravíssima crise no sistema penitenciário cuja solução ainda é uma incógnita, a menos que o governo federal entre com uma parte dos custos no complexo prisional de Itaquitinga, orçado em cerca de 350 milhões. Em seguida deparou com a "bomba" da Arena Pernambuco, cujo contrato com o consórcio que a construiu o Estado não vai poder honrar. Logo depois ouviu um "não" de Dilma Rousseff, para o aval a um pedido de empréstimo no valor de 1,8 bilhões, embora o Estado tenha capacidade de endividamento. E, para completar o inferno astral, está às voltas com uma greve dos professores e em conflito aberto com o Tribunal de Justiça por causa da LOA/2015. Foto: Firmino Caetano Junior. Inaldo Sampaio. Jornalista