30 de maio de 2015

Sugestão de um Desembargador aos Direitos Humanos

Quando eu era Juiz da Infância e Juventude em Montes Claros, Minas Gerais, em 1993, não havia instituição adequada para acolher menores infratores. Havia uma quadrilha de três adolescentes praticando reiterados assaltos. A polícia prendia, eu tinha de soltá-los. Depois da enésima reincidência, valendo-me de um precedente do Superior Tribunal de Justiça, determinei o recolhimento dos "pequenos" assaltantes à cadeia pública, em cela separada dos presos maiores. Recebi a visita de uma comitiva de defensores dos direitos humanos que exigiam que eu liberasse os menores. Neguei. Chamei o escrivão e ordenei a lavratura de três termos de guarda: cada qual levaria um dos menores preso para casa. Mal se despediram e saíram correndo do fórum. Foto: Reprodução Tv globo. Rogério Medeiros Garcia de Lima. Desembargador. Belo Horizonte/MG