28 de setembro de 2013

Mulheres poderosas

Duas mulheres importantes, em tempos diferentes mas ocupando os cargos mais importantes em seus países, em momento de graves crises econômica e sociais fizeram a escolha do caminho da austeridade para superá-las: Margaret Tatcher e Angela Markel. Ambas foram severamente criticadas por adversários trabalhistas de mente estreita e visão de curto alcance, mas elas não se incomodaram com isso, pois mais importante que a preservação do cargo político era garantir um futuro com dignidade e prosperidade para seus povos. Ambas conseguiram. Já nós, aqui, no Brasil, estamos muito mal servidos: aquela que exige ser chamada de presidenta, Dilma Rousseff, continua apostando no incentivo ao consumismo para manter o mercado aquecido e na máquina da propaganda para divulgar resultados ufanistas e incorretos de seu governo. Tudo para enganar seus eleitores e garantir ao Partido dos Trabalhadores (PT) no poder. Quanto aos país, ora, que se lixe nas ostras. Foto: Reprodução. Mara Montezuma Assaf. São Paulo/SP