18 de janeiro de 2014

Energia solar e a falta de interesse do poder público

Nesse ano que passou havia muita esperança de que a energia solar fotovoltaica de uso residencial pudesse deslanchar no Brasil. Ledo engano. Segundo o estudo “Os brasileiros diante da microgeração de energia renovável”, realizado pelo Greenpeace, os resultados decorrentes da Resolução foram pífios. De onde se conclui que a resolução 482, que deveria reduzir as barreiras e estimular a instalação de geração distribuída de pequeno porte conectada à rede elétrica, principalmente nas residências, se tornou um grande fiasco. Somente 131 sistemas domiciliares de geração fotovoltaica foram instalados em todo o Brasil. Em Pernambuco, apenas 4 instalações foram realizadas. Esses números são irrisórios diante das possibilidades que o país possui, principalmente devido à alta incidência de radiação solar em praticamente todo o seu território. Então, se temos Sol em abundância porque não aproveitá-lo mais para gerar eletricidade? A causa principal é a falta de interesse dos gestores da área energética em relação a esta importante fonte de energia que é lamentável. Foto: Firmino Caetano Junior. Heitor Scalabrini Costa. Recife/PE