11 de janeiro de 2014

Violência no Maranhão, já levaram centenas aos cemitérios

O Estado do Maranhão dos Sarney choca o país, quiçá o mundo, com atos de pura barbárie. Só os cineastas mais violentos, poderiam produzir cenas em que dissecam a perna de um preso (ou seja, sob a custódia do Estado brasileiro). Tiram a pele, depois músculos, veias, artérias, até o osso. Também só cineastas doentios, armariam o cenário, destacariam atores e filmariam pessoas sendo decapitadas. Foram estupros e 60 mortes em 2013, e 2014 já começou com mais duas. A crise extrapolou as grades e foi parar nas ruas, onde vândalos atacaram ônibus e atearam fogo numa menininha na “Vila Sarney”, onde ela morreu. O vandalismo dos presos não é isolado. Apenas reflete a situação carcerária que, por sua vez, reflete a calamidade pública geral. Na mídia outras muitas histórias horripilantes. Cito uma: os carros, carteiras, cadeiras e os materiais escolares que foram enviados pelo governo federal para a Prefeitura de São Luís, novíssimos, apodreceram debaixo de sol, chuva e descaso, sem jamais terem sido usados. Já não estaria na hora de uma Intervenção? Foto: Firmino Caetano Junior. Celso Serra. Rio de Janeiro/RJ.