11 de janeiro de 2014

Médicos fogem para Estados Unidos e outros países

No ano passado, uma média de três mil cubanos, em sua maioria médicos, veio para os Estados Unidos abandonando assim os vários programas sociais que estão em execução na Venezuela, o que representa um aumento de 60% em relação a 2012. No território dos Estados Unidos até agora já são cinco mil médicos cubanos e enfermeiros refugiados. Outros profissionais estarão indo para outros países. Junto e amplitude da Venezuela é o maior contingente de profissionais médicos cubanos servindo neste país, graças ao acordo de cooperação assinado entre Caracas e Havana, mas as condições de trabalho são as piores. Outra razão são os baixos salários pagos e muitos denunciam que estavam exercendo a profissão como um sistema de escravidão moderna. Aos médicos são pagos 300 dólares diretamente, mas o Estado cubano fica com quase todo dinheiro que é de US$ 6 mil para cada profissional pagos pela Venezuela. No total eles não chegam a receberem nem 12% dos benefícios pagos. Um descaso sem tamanho. Por isso a fuga em massa. Foto: Site El Universal.