16 de maio de 2014

Cadê as reformas para a rodovia da morte?

No mínimo uma falta de respeito com as famílias das vítimas e todos os mineiros a mais nova promessa de duplicação da BR 381 feita pela presidenta Dilma, pois a mesma promessa tem sido feita nas vésperas das eleições de 2002, 2006 e 2010. A BR 381 conhecida como rodovia da morte foi inaugurada há mais de 50 anos para comportar caminhões pequenos e poucos carros, enquanto a engenharia viária na época utilizou a rota dos burros de carga para traçar a rodovia, gerando 200 curvas em 100 quilômetros entre BH e João Monlevade e atualmente no mesmo traçado transitam mais de 15 mil veículos/dia incluindo bitrens com 26 metros de comprimento. Essa estrada é a campeã em mortes no Brasil e mesmo tendo conhecimento dos trechos mais perigosos, Ravena, Nova União e Serra da Piedade, nada foi feito para minimizar os riscos. Nossa presidenta mineira deveria ter sensibilidade para perceber que esse anúncio foi precipitado e só aumenta a dor das famílias que perderam seus entes queridos por mero descaso do governo federal, seria mais inteligente e honrado ter iniciado as obras para depois comemorar. Foto: web. Daniel Marques. Virginópolis/MG