28 de julho de 2014

Banco toma partido e alerta clientes

Não é novidade nenhuma que o baixo desempenho do Governo Dilma, em especial de sua equipe econômica, tenha afetado negativamente os investimento no País, causando insegurança nos investidores. Um exemplo de como isso reverbera são as ações da Petrobras, que despencam cada vez que é divulgada uma pesquisa de intenções de voto e a presidente aparece na frente. Mas um banco comunicar aos seus correntistas que a reeleição de Dilma é uma ameaça maior para o mercado é, no mínimo, antiético. Foi o que aconteceu com o Santander, que enviou extrato para mais de 40 mil clientes com renda mensal superior a R$ 10 mil, informando que o sucesso de Dilma nas eleições provocaria deterioração da economia. O banco Santander achou que a história não vazaria para a Imprensa, levou uma chamada do Governo, encaminhou um pedido formal de desculpa à presidente e demitiu funcionários do setor de onde o texto saiu, como se isso não passasse pelo crivo dos grandões da instituição. Que papelão! Foto: Firmino Caetano Junior. Jamille Coelho. Editora de Economia do Jornal Folha de Pernambuco