10 de novembro de 2014

Emprego está difícil na Veneza Brasileira

O desemprego na Região Metropolitana do Recife é parada. Tem muito pai de família batendo perna por ai à procura de uma vaguinha e não encontra. Só bate em portas fechadas. É duro ver famílias abatidas diante da filharada gritando de fome, de barriga vazia, sem ter nada pra comer. Dependendo apenas do Bolsa-Família. Mas, por outro lado, as empresas também se queixam. Achar profissional qualificado no Recife, praça reconhecidamente carente de talentos profissionais é tarefa difícil. A culpa é do país que não oferece condições para capacitar pessoal.  Não se interessa em formar mão de obra destinada a um mercado cada vez mais avançado em tecnologia. Como o Recife é identificado como o berço dos desqualificados, cheio de pessoas inexperientes para a maioria das funções trabalhistas tem empresa recrutando gente para oferecer cursos de treinamento. A Fiat, de Goiana,  é um belo exemplo.  De fato, a carência de trabalhadores, comprovadamente formados em funções operacionais e em técnicas industriais e de informação é dureza. Quando encontra um trabalhador qualificado dando sopa na praça, o Complexo de Suape agradece de coração. Foto: Firmino Caetano Junior. Carlos Ivan. Olinda/PE