2 de dezembro de 2014

Tem algum jeito para evitar a violência?

Quando encontra prédios desocupados e chateados com a falta de programas habitacionais do governo, a população carente invade todos os espaços vazios e como exemplo cito a cidade de São Paulo. Para  expulsar os invasores, considerados sem-teto, de um edifício abandonado em plena Avenida São João, no centro da capital paulista, a Policia teve de usar bombas de gás lacrimogênio, de efeito moral e balas de borracha. Para reprimir ações de vândalos, como arrastões, assaltos, depredação de lojas e queima de ônibus, policiais reagem à bandalheira de maneira truculenta. Talvez copiando os exemplos letais da Policia dos Estados Unidos que não perdoa a violência de marginais. Insatisfeitos com a falta verbas para o pagamento de rescisões e o desbloqueio dos bens da Petrobrás, mais de 4,8 mil trabalhadores que executavam serviços para a Refinaria Abreu e Lima, no Porto de Suape, Ipojuca, tocaram fogo em três ônibus que eram usados no transporte da rapaziada, ali na praia de Gaibu.  No Recife, assaltantes explodem dois caixas eletrônicos. Pergunta-se: A violência tem jeito? Foto: Arquivo. Carlos Ivan.Olinda/PE