25 de abril de 2015

Mudança no abastecimento e até agora nada de verba

A falta de chuvas e a perspectiva de precipitações abaixo da média na região do Agreste pernambucano motivaram a Companhia Pernambucana de Saneamento, a alterar o calendário de abastecimento das 15 cidades abastecidas pelo Sistema Jucazinho. Atualmente, o nível da barragem está em 7,8% de sua capacidade, o que corresponde a 25 milhões de metros cúbicos de água. A população precisa saber da gravidade da situação e ao mesmo tempo pedir o seu apoio para a necessidade do uso racional da água. Estamos mudando o calendário de abastecimento com o objetivo de preservar o manancial, evitando que entre em colapso, explicou o presidente da Compesa, Roberto Tavares, em uma coletiva a imprensa na cidade de Caruaru. Além de tomar a medida emergencial para preservar a barragem, a companhia também precisa concluir a obra estruturadora para a região, a Adutora do Agreste, que vai garantir o abastecimento pelos próximos 30 anos. A obra está em ritmo lento pela ausência de um cronograma de desembolso financeiro por parte do Governo Federal para tocar a maior obra hídrica do país, segundo o presidente da estatal. Foto: Cortesia.