8 de setembro de 2014

Quantidade de orelhões vai diminuir

Em desuso crescente desde a década passada, os orelhões serão reduzidos a menos da metade nos próximos cinco anos. A Anatel ( Agência Nacional de Telecomunicações) quer eliminar 461,3 mil dos 763 mil telefones públicos existentes hoje no país. O corte de 60% dos orelhões anunciados pela agência diminuirá o número deles para pouco mais de 300 mil (um milhão a menos do que havia em 2001). A redução dos orelhões se explica em boa parte pelo aumento dos celulares, que, nesses mesmos 13 anos, se multiplicaram em quase dez vezes: de 28,7 milhões em 2001 para 273,58 milhões em 2014. Para a Anatel, esse salto de celulares tornou os orelhões quase supérfluos. Outros motivos: o custo da manutenção das operadoras, uma expressiva queda nas receitas, queda no uso dos aparelhos, aumentou a frequência de orelhões inoperantes, que passavam a ser meras peças decorativas das cidades brasileiras, e tudo isso pesou na decisão da Anatel. Segundo um levantamento de 2011, a Anatel identificou que quase metade deles não funcionava, em estados como Paraná e Santa Catarina, já eram 61%. Foto: Firmino Caetano Junior. Fonte: Assessoria de Comunicação Anatel