15 de março de 2014

Sem fiscalização de nada adianta

Daqui a três meses começam a vigorar as novas regras da Anatel para telefonias fixa e móvel, internet e TVs por assinatura. Mais uma vez, a promessa é facilitar a vida do consumidor, que vive perdendo a cabeça com os descasos e péssimos serviços das operadoras. Desta vez, a agência garante que haverá melhorias no cancelamento dos serviços solicitados pelos clientes, que dificilmente são resolvidos numa ligação, evitar o estresse de quem passa horas falando com o atendente e tem a infelicidade da ligação cair, neste caso a ideia é que as empresas retornem a ligação. Caberá às operadoras informar quando o saldo do pré-pago estiver acabando e quando o limite das contas dos pós-pagos forem atingidos. Na teoria, as regras são uma maravilha. Mas na prática, dificilmente isso irá funcionar, que já não é a primeira vez que a Anatel estabelece regras. Não é segredo para ninguém que a agência é refém das empresas e, por isso, não exerce sua função de regular e fiscalizar as condutas das operadoras, que fazem o que querem e bem entendem com o cliente. Foto: Firmino Caetano Junior. Jamille Coelho. Editora de Economia do Jornal Folha de Pernambuco